Atualidade

Estudo: retina pode funcionar como biomarcador não invasivo no diagnóstico precoce da doença de Alzheimer

13 Jan. 2020

Um estudo realizado por uma equipa multidisciplinar da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), demonstrou que a retina poderá funcionar como um biomarcador não invasivo relevante para o diagnóstico precoce da doença de Alzheimer. Esta é uma alteração que representa cerca de 60 a 70% dos casos de demência, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Os resultados foram publicados na Alzheimers Research & Therapy, uma das principais revistas internacionais na área das Neurociências e da Neurologia Clínica.

Por favor faça ou registe-se para aceder a este conteúdo

Newsletter

Opinião

Crises epilépticas e epilepsias em diferentes ambientes hospitalares
Dr. Nuno Canas, neurologista e neurofisiologista clínico do Hospital Beatriz Ângelo

Apoios